Paraíba

Sargento Neto condena punição a policial por “meme”: “Apressada, desproporcional e injusta”



O deputado estadual licenciado Sargento Neto se mostrou indignado ao comentar a punição aplicada a um policial civil que divulgou em suas redes sociais imagens repetindo uma brincadeira do momento (os chamados “memes”) enquanto apresentava uma carga de dinamite apreendida em Campina Grande após dois meses de investigações da Delegacia de Roubos e Furtos, com 126 explosivos.

Nas imagens, o agente repete o chamado “meme amostradinho”, que tem sido reproduzido até mesmo em campanhas institucionais por agentes públicos. O policial acabou sendo transferido de delegacia, medidas adotadas dentro de poucas horas pela cúpula da Polícia Civil.

Para Sargento Neto, o agente não cometeu nenhuma irregularidade que justifique uma sanção que entende ser apressada e severa demais. “Isso é um verdadeiro absurdo. Por conta de uma coisa tão pequena, um homem que participou de um trabalho brilhante que tirou de circulação um grande volume de explosivos é punido com dureza, ao invés de parabenizado pelo trabalho”, condenou.

“Esses ‘memes’ inofensivos acabam ajudando a difundir mensagens institucionais e, no caso, serviu para mostrar e exaltar o bom trabalho realizado pelo pessoal da Delegacia de Roubos e Furtos. Por isso mesmo, não acredito que a publicação do policial tenha atentado contra qualquer portaria, mas, ainda que o entendimento da direção da PC tenha sido distinto, a punição foi injusta, apressada e desproporcional”, lamentou.
COBRANÇA, PRESSÃO, FALTA DE ESTRUTURA E PERSEGUIÇÕES

Indignado com a sanção contra o policial civil, Sargento Neto afirmou que essa é a realidade de quem faz as forças de segurança. “Muito trabalho, muita cobrança por resultados, falta de estrutura, salários baixíssimos, todo um sistema e um ambiente de mídia favorável aos criminosos, e qualquer coisa é motivo para punição, retaliação, perseguição. Isso é revoltante, é inaceitável”, disse.

Hora Agora