Policial

Operação mira organização voltada ao tráfico de drogas e comércio de armas em Pernambuco e na Paraíba

A Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Pernambuco (FICCO/PE) deflagrou, na manhã desta terça-feira (14), a Operação Pertinaz, destinada a reprimir organização criminosa armada, com ramificações em pelo menos 14 cidades dos estados de Pernambuco e Paraíba, especializada na prática dos crimes de tráfico ilícito de entorpecentes, comércio Ilegal de armas de fogo, lavagem de dinheiro, além de outros correlacionados.

Dentre os investigados estão três grandes fornecedores de entorpecentes, 15 ocupantes das funções de gerentes dos negócios ilícitos, além de outras pessoas ligadas às operações logísticas e financeiras da organização criminosa.

Por se tratarem de indivíduos de alta periculosidade, os quais comercializam drogas em várias localidades da região metropolitana de Recife, atuando sempre com muita violência para garantir a manutenção das atividades ilícitas, os resultados da deflagração da Operação Pertinaz serão de grande importância para a segurança pública local, uma vez que terão consequências diretas no estancamento do fornecimento e distribuição de entorpecentes na região.

Ao todo, 328 agentes de segurança pública das forças integradas estão dando cumprimento a 54 mandados de busca e apreensão e 31 mandados de prisão preventiva expedidos pela 1ª Vara da Comarca de Camaragibe/PE, nos municípios de Camaragibe, Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, São Lourenço da Mata, Paulista, Abreu e Lima e Igarassu/PE, além de João Pessoa/PB.



A Seção Pernambuco da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado– FICCO/PE é composta pela Polícia Federal, Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, por meio das Polícias Civil e Militar, Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização de Pernambuco, por meio da Polícia Penal, e Polícia Rodoviária Federal.

A FICCO/PE foi criada através de Acordo de Cooperação Técnica, firmado ainda no ano de 2022, para atuar de forma conjunta na repressão à criminalidade violenta, conjugando esforços e a expertise de cada órgão, trabalhando em um ambiente comum, com o compartilhamento de informações e recursos materiais e humanos dos membros.

Blog do Anderson Souza