Economia

Não é possível fazer transição energética sem eletrificação, diz diretor-presidente do Ibram



CNN BRASIL

O diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), Raul Jungmann, frisou a importância dos minerais na mudança da matriz energética.

“Não há possibilidade de fazer uma transição para uma economia de baixo carbono sem ampliar a eletrificação”, afirmou, nesta segunda-feira (3), em painel no CNN Talks.

Citando baterias, turbinas eólicas e painéis solares, Jungmann destacou que “tudo isso” exige “minerias críticos e estratégicos”, como lítio e nióbio.

O diretor-presidente do Ibram, ex-ministro da Defesa, participou do painel “Inovação e descarbonização”.

Também presente no painel, Paulo Emilio de Miranda, presidente da Associação Brasileira do Hidrogênio​, afirmou que a humanidade caminha para a descarbonização.

“Madeira era o combustível que tínhamos tempos depois. Depois, o carvão. Depois, o petróleo. Depois, o gás”, disse.

“Quando passa de um para outro, o teor de carbono diminui e o de hidrogênio, aumenta”, acrescentou.

Head de Sustentabilidade da Ambipar​, Rafael Tello também adotou um tom otimista para dizer que o Brasil está na vanguarda em ter uma matriz energética mais limpa.

“O Brasil é uma capsula do tempo: estamos no futuro que o mundo está correndo atrás”, afirmou.

Já o diretor de Sustentabilidade e Cidadania Digital da Caixa, Jean Rodrigues Benevides, destacou o papel do banco público na descarbonização no setor habitacional.

“Criamos um selo, baseado em seis categorias, que indica como fazer uma construção mais sustentável de um empreendimento”, afirmou.

“Esse selo vem junto a um incentivo na taxa de juros, para a gente dar incentivo e ofertar mais tipos desses empreendimentos”, acrescentou.

O evento

CNN Talks – Próximos Passos para a Transição e Transformação Energética no Brasil” reuniu autoridades governamentais, empresários e especialistas em debate.

Como protagonista no cenário da transição energética, o Brasil está em posição relevante na geopolítica global em prol da energia mais rentável e sustentável.

No entanto, há muito a ser discutido em relação a estratégias, desafios e oportunidades, como nossos pontos positivos, investimentos, esforços e a competitividade no setor.

Sob mediação e condução dos jornalistas Márcio Gomes e Fernando Nakagawa, o encontro contou com uma plateia convidada de empresários e players do segmento, em São Paulo.