Economia

Brasil tem autoridade para liderar transição energética, diz Helder Barbalho



CNN BRASIL

O Brasil tem autoridade para ser líder na transição energética, pontuou o governador do Pará, Helder Barbalho, ao participar do CNN Talks nesta segunda-feira (3).

“O Brasil tem autoridade para liderar esta agenda, de transição energética. A COP, quando acontece na Amazônia, é uma grande oportunidade para o Brasil tomar essa liderança para si”, disse, se referindo ao evento de debate sobre clima que será realizado em Belém, me novembro do ano passado.

O governador participou do painel “Revolução elétrica: Caminhos para uma matriz energética limpa e eficiente” do evento.

O CEO da Cemig, Reynaldo Passanezi Filho, completou o painel. Em sua participação, ele defendeu oportunidades que o Brasil terá, visto sua matriz limpa e resiliente, com a evolução da inteligência artificial – que demanda energia.

“Não faltam oportunidades”, disse.

Também esteve presente neste debate Marcos Madureira, presidente da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee).

Segundo o executivo, o Brasil precisa procurar caminhos para a transição energética que não pesem no bolso do consumidor. Hoje, os subsídios às energias renováveis representam parcela significativa da tarifa paga pelos brasileiros.

“O volume de subsídio que tem sido dado para se implantar este tipo de tecnologia é muito caro. Precisamos repensar outras maneiras de realizar isso, e a primeira coisa é não criar mais incentivos deste tipo”, disse.

Ana Toni, secretária de Mudança do Clima do Ministério do Meio Ambiente, que haja “radicalismos” no debate sobre a Margem Equatorial, seja por parte de sua pasta ou daqueles que defendem a exploração da região.

“O debate que está acontecendo é técnico entre a Petrobras e o Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis] para ver se há condições técnicas de fazer a pesquisa ou não”, disse.

“Não há radicalismo ambiental, como não há radicalismo sobre combustível fóssil. Precisamos ter um debate maduro sobre o tema”, completou.

Durante sua fala, Ana Toni ainda disse temer que este debate ganhe protagonismo durante a COP30, que acontecerá em Belém. A secretária pediu que as atenções estejam voltadas a “apresentar as potencialidades do Brasil em transição para o mundo”.

“CNN Talks – Próximos Passos para a Transição e Transformação Energética no Brasil” reúne autoridades governamentais, empresários e especialistas em debate sobre questões relacionadas a um tema no qual o Brasil ocupa posto de absoluto destaque no cenário global.

O evento

Como protagonista no cenário da transição energética, o país está em posição relevante na geopolítica global em prol da energia mais rentável e sustentável.

No entanto, há muito a ser discutido em relação às estratégias, aos desafios e às oportunidades, como, por exemplo, os nossos pontos positivos, os investimentos, esforços necessários e os desafios de competitividade no setor.

Sob mediação e condução dos jornalistas Márcio Gomes e Fernando Nakagawa, o encontro da marca CNN Talks conta com uma plateia convidada de empresários e players do segmento, reunidos no Espaço JK, em São Paulo.