Cidades

Secretário sobre suplementações: “O Estado também faz e a oposição não critica”



O secretário de Educação de Campina Grande, Raymundo Asfora Neto, esteve nesta terça-feira (04) acompanhando a sessão ordinária da Câmara Municipal.

Asfora acusou a bancada de oposição de agir politicamente com objetivo de atrapalhar a gestão municipal ao não apreciar os projetos de suplementação orçamentária enviados pelo Executivo.

Segundo ele, todos os esclarecimentos já foram dados pelos próprios secretários em reuniões na Câmara.

“Ao final da reunião, a oposição não ponderou nenhuma dúvida, não deixou nenhum questionamento. Lembro que o líder da oposição, Anderson Pila, disse o seguinte: Asfora, a parte administrativa já entendemos, agora vamos para a decisão política e é essa posição política que está atrapalhando a cidade, porque informações eles têm”, declarou.

Asfora rebateu as argumentações da oposição de que as suplementações estavam sendo solicitadas por falta de planejamento da gestão Bruno.

Ele citou que o Governo do Estado também faz uso de suplementações orçamentárias, o que é natural na gestão pública.

“Porque a oposição não critica o governo João Azevêdo, que usa 6 bilhões de reais por ano, com autorização da Assembleia? No ano passado, foram feitas mais de 400 alterações no orçamento estadual, de um governador que a bancada de oposição defende, mas lá eles não chamam isso de falta de planejamento”, criticou Asfora.

Blog do Max Silva