Diversão

Santuário do Caraça: conheça a história do lugar construído há 250 anos em serra mineira



No dia 27 de junho, a Secretaria de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult-MG) lançou a campanha “Inverno em Minas”. Quarenta jornalistas de todo o Brasil foram convidados a participar de circuitos por destinos mineiros que mesclam história, cultura e gastronomia. O intuito é divulgar lugares ainda pouco falados, principalmente no interior, e que já possuem infraestrutura para receber os turistas. A Tribuna fez o Território da Estrada Real, que passou pelo Santuário do Caraça, pelo distrito de Brumal e pelas cidades de Santa Bárbara, Catas Altas, Santana dos Montes e Tiradentes. Ao longo deste mês, o leitor do jornal poderá conferir dicas sobre o que fazer nesses lugares, além de conhecer suas histórias centenárias que, inclusive, contam a própria história de Minas Gerais. O primeiro destino é o Santuário do Caraça que, neste ano, completou 250 anos.

As cidades de Santa Bárbara e Catas Altas estão rodeadas pela Serra do Caraça: um trecho com os dois pontos mais altos da Serra do Espinhaço. Quem vê de fora talvez não dê conta da dimensão do que ela guarda: um santuário que é considerado uma das maravilhas da Estrada Real. Não poderia, pois, receber outro nome: Santuário do Caraça. Assim que se sobe a serra para chegar no lugar, é como um encantamento: aos poucos, em cerca de 20 minutos de subida, o prédio vai se apresentando imponente, no meio da mata e com trechos de água que cortam a estrada (em bom estado, inclusive). Imagine, então, como era o lugar há 250 anos: ainda mais desconhecido e inexplorado. Bem na época em que Minas Gerais se anunciava como a terra do ouro: chamariz para qualquer um que queria, dentre outras coisas, uma vida boa, explorando aquelas terras douradas.

Tribuna de Minas