Policial

Saiba quais cuidados devem ser adotados com fogos e fogueira nestas festas juninas



Os técnicos da Secretaria de Meio Ambiente (Semam) da Prefeitura de João Pessoa estão orientando a população sobre o uso de fogos de artifício e fogueiras durante as festas de junho. Para que se reduza a fumaça a orientação é que sejam montadas fogueiras coletivas. Em vez de uma fogueira na frente de cada casa, o ideal é que se montem por rua. E em relação aos fogos de artifício, a orientação é para que se brinque com fogos silenciosos.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) registrou, no início de maio, um aumento nos índices de Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em crianças. Por esse motive, a Prefeitura decretou situação de emergência, com validade de 90 dias, ou seja, até julho. Por esta razão, a Semam orienta uma redução no número de fogueiras, para evitar fumaça, o que piora os quadros de saúde das crianças com doenças respiratórias. Já em relação aos fogos, pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) sofrem com barulho, bem como quem está acometido de alguma doença em casa ou em hospitais. O mesmo ocorre com animais, que entram em sofrimento profundo por causa do excesso de barulho provocado pelos fogos.

O secretário de Meio Ambiente, Welison Silveira, destacou que, diferente do período de pandemia da Covid-19, existem menos restrições, mas nem por isso as pessoas devem perder o bom senso. “Ninguém vai impedir a livre manifestação das tradições de junho, mas nós contamos com o sentimento de coletividade da população de João Pessoa, até porque o São João tem uma ideia de coletividade, das festas nas ruas. Se os moradores se reúnem para celebrar, porque não acender uma fogueira por rua? Já em relação aos fogos, o mercado disponibiliza fogos silenciosos. É uma questão de respeito, tanto com as pessoas como com os animais. E nós da Semam acreditamos que somos um povo educado, contamos com o sentimento de coletividade da população”, concluiu.

Em relação à venda de madeira para fogueiras, os técnicos da Semam reforçam também sobre a atenção com a legislação, pois só podem ser comercializadas madeiras com certificação da origem do material vendido.

Durante todo o mês de junho os técnicos da Divisão de Fiscalização da Semam estarão atuando, com atenção às denúncias de poluição sonora e demais infrações ambientais. As denúncias podem ser feitas pelo aplicativo João Pessoa na Palma da Mão ou pelos telefones (83) 98214-7473 e pelo (83) 3218-9208, este último via o chatbot Acácia da Semam, para denúncias exclusivamente via WhatsApp, recebendo vídeos e mensagens de áudio.

PB Agora