DestaquesParaíba

MENINGITE: adolescente internada com suspeita da doença morre em Campina Grande; PB já registrou 18 casos em 2024

Morreu no Hospital de Trauma de Campina Grande a adolescente de 12 anos que internada com suspeita de meningite. A morte foi confirmada pela Secretaria de Estado de Saúde.

Apresentando sintomas como dor de cabeça, dor na nuca, entre outros característicos da doença, a adolescente havia dado entrada no Hospital Regional de Sousa, no dia 3 de maio, de onde foi transferida para o Hospital Noaldo Leite, em Patos.

Com o agravamento de seu quadro de saúde, ela precisou novamente ser transferida, desta vez, para o Trauma de Campina Grande já sob a suspeita de meningite.

Os exames realizados foram encaminhados ao Laboratório Central (LACEN). De acordo com a SES, só com o resultado das análises é que será possível fechar o diagnóstico de meningite. Em caso de confirmação, ainda segundo a SES, este será o terceiro óbito registra no estado de vítima da doença este ano. Duas pessoas morreram em Campina Grande.

Em 2024, 48 casos suspeitos de meningite já foram contabilizados. 18 pessoas foram confirmadas com a doença.

A SES alerta que em caso de apresentação de sintomas relacionados à doença, o paciente seja conduzido imediatamente a uma unidade de saúde.

MENINGITE

A meningite é uma inflamação das meninges, que são as três membranas que envolvem o cérebro e protegem o encéfalo, a medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central. É causada, principalmente, por bactérias ou vírus.

A doença pode atingir pessoas de qualquer idade, mas as crianças menores de 5 anos são mais afetadas.

A doença também pode ser transmitida de pessoa para pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções do nariz e da garganta. Também ocorre transmissão através da ingestão de água e alimentos contaminados e contato com fezes.

SINTOMAS:

As meningites provocadas por vírus costumam ser mais leves e os sintomas se parecem com os das gripes e resfriados. A doença ocorre, principalmente, entre as crianças, que têm febre, dor de cabeça, um pouco de rigidez da nuca, falta de apetite, irritação.

Meningites bacterianas são mais graves e em pouco tempo os sintomas aparecem: febre alta, mal-estar, vômitos, dor forte de cabeça e no pescoço, dificuldade para encostar o queixo no peito e, às vezes, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo. Esse é um sinal de que a infecção está se alastrando rapidamente pelo sangue e o risco de infecção generalizada aumenta muito.



Nos bebês pode-se também observar:

– moleira tensa ou elevada;
– gemido quando tocado;
– inquietação com choro agudo;
– rigidez corporal com movimentos involuntários, ou corpo “mole”, largado.

TRATAMENTO:

Após a avaliação médica e a realização de exames, o tratamento será indicado de acordo com o agente causador da infecção. Não há tratamento específico para a meningite viral e, como acontece com outras viroses, se resolve sozinha, podendo ser utilizados medicamentos que tratem apenas dos sintomas, como dor e febre.

Meningites bacterianas são mais graves e devem ser tratadas imediatamente, em ambiente hospitalar.

PREVENÇÃO:

As vacinas estão disponíveis para prevenção das principais causas de meningite bacteriana. O Programa Nacional de Imunização disponibiliza as seguintes vacinas no Calendário de Vacinação da Criança:

– Vacina meningocócica C (Conjugada): protege contra a doença meningocócica causada pelo sorogrupo C;
– Vacina pneumocócica 10-valente (conjugada): protege contra as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae, incluindo meningite;
– Pentavalente: protege contra as doenças invasivas causadas pelo Haemophilus influenzae sorotipo B, como meningite, e também contra a difteria, tétano, coqueluche e hepatite B.

PB Agora