Policial

Justiça Argentina mantém prisão domiciliar de Antônio Neto



Numa decisão de oito páginas,  a Justiça da Argentina apreciou o recurso da promotoria e manteve a decisão da prisão domiciliar de Antônio Neto.

O Promotor de Justiça Dr. Ariel Gonzalo havia recorrido da decisão que liberou Antonio Neto para prisão domiciliar.

Em seu recurso, argumentou o Promotor, Dr. Ariel Gonzalom que a decisão de 1º grau, não cumpria os  parâmetros estabelecidos no artigo 210 do Código de Processo Penal Federal da Argentina.

Todavia, a CAMARA CRIMINAL Superior da Argentina em Buenos Aires, decidiu que Após analisar o recurso, considerou como  correto decisão do juiz de grau,  compartilhando com a análise das circunstâncias que levou o juiz a decidir favoravelmente sobre o pedido apresentado, levando em  em consideração, ainda,  as alegações feitas pela defesa, relativamente ao estado de saúde do cônjuge do arguido e a situação particular que os menores atravessam, que estão sob os cuidados exclusivos da mãe (que sofre de pressão arterial e ataques de pânico), não contando com o apoio de nenhum outro familiar neste país.

Paraíba Todo Dia