Policial

Justiça absolve pai que matou estuprador da filha em Campina Grande



A Justiça absolveu nesta quarta-feira (26) Charles Silva do Egito, um mototaxista de Campina Grande, que matou o abusador de sua filha de 12 anos. O crime ocorreu em 2021, no bairro das Malvinas. O juiz Fabrício Meira Macedo, que presidiu o julgamento no Fórum de Campina Grande, proferiu a sentença de absolvição, levando em consideração as circunstâncias emocionais e o contexto em que o crime ocorreu.

De acordo com relatos, a menina estava na frente de casa quando foi abordada e abusada por um homem de 33 anos. Após o relato da filha, Charles procurou o suspeito e disparou cinco tiros contra ele, resultando em sua morte no local.

Durante o julgamento, a defesa de Charles argumentou em favor do homicídio privilegiado, apontando a intensa emoção sob a qual o crime foi cometido. “Vamos pedir homicídio privilegiado porque se afasta essa qualificadora e com a redução da pena que vai ser aplicada pelo próprio juiz, será uma coisa justa para o fato, sem deixar de levar em conta a relevância social da violência contra a mulher e, neste caso, contra uma criança de 12 anos”, declarou o advogado de defesa.

O promotor de justiça Osvaldo destacou a gravidade do ato, mas reconheceu a complexidade emocional envolvida. “Foi um crime, apesar das circunstâncias. O cidadão matou o outro com cinco tiros, então ele não pode ficar isento de pena aos olhos do Ministério Público”, afirmou.

A mãe da menina, que na época dos fatos não morava com a filha, também foi ouvida durante o julgamento, junto com outras testemunhas. Ela relatou o impacto do abuso e do subsequente ato de vingança cometido pelo pai da criança.