Economia

JBS lucra R$ 1,6 bilhão no 1º tri com custo menor e demanda por aves

CNN BRASIL

A JBS, maior processadora de carnes do mundo, registrou lucro líquido de R$ 1,646 bilhão de reais no primeiro trimestre.

Entre os destaques para o resultado estão melhorias na maior parte dos negócios, enquanto o segmento bovinos nos Estados Unidos ainda enfrenta desafios.

O lucro teve impulso dos resultados das unidades de carne de aves, em meio a uma demanda “forte” e custos de grãos para ração menos pressionados, tanto na brasileira Seara como na norte-americana Pilgrim’s Pride.

A JBS afirmou que, em carne bovina, permaneceu o contraste entre a fase favorável no Brasil e na Austrália e “o momento ainda difícil do ciclo pecuário nos Estados Unidos”.

Com a menor oferta de animais nos EUA, os custos de compra de gado aumentam, impactando os preços da carne e o consumo.

Para o CEO Global da JBS, Gilberto Tomazoni, a plataforma global e diversificada de proteínas da companhia permitiu melhores resultados.

“Gostaria de reforçar a nossa fortaleza. Mesmo com o negócio dos Estados Unidos, olhando pelo IFRS, (com Ebitda ajustado) negativo neste trimestre, mesmo assim estamos entregando uma Margem Ebitda (geral) de 7,2%, e o negócio lá nos EUA é o maior negócio nosso”, disse Tomazoni.

“Isso nos dá segurança de que a empresa continua crescendo… O boi está ruim nos Estados Unidos, mas está bom no Brasil, está bom na Austrália. Está ruim o boi nos Estados Unidos? Mas está bom o frango, está bom o suíno. Essa diversidade nos permite entregar resultados, e poucas empresas têm isso”, disse.

O lucro antes de juros, impostos, amortizações e depreciações (Ebitda) ajustado da JBS quase triplicou ante o mesmo período do ano passado, para R$ 6,4 bilhões, enquanto a receita liquida avançou 2,8% no mesmo período, para 89,1 bilhões de reais.

Já Margem Ebitda ajustada fechou o trimestre em 7,2% no período, avanço de 4,7 pontos percentuais em relação aos três primeiros meses do ano passado.

Com Reuters