Economia

“Estado parou e precisa se reerguer”, diz CEO da Vulcabras à CNN direto do front no RS

CNN BRASIL

As inundações no Rio Grande do Sul, que já atingem pelo menos 1,7 milhão de pessoas, mobilizaram governos, empresários e toda a sociedade civil para organizar doações e ajuda às vítimas da maior tragédia da história do estado.

O governador Eduardo Leite afirmou que serão necessários pelo menos 19 bilhões de reais para executar o plano de reconstrução. O impacto econômico é significativo e não atinge apenas o Rio Grande do Sul, mas todo o país.

Nesse momento, em que é preciso muita gestão, experiência e, também, esforço de empresários para mudar o cenário de destruição, o “É Negócio” traz Pedro Bartelle, CEO da Vulcabras, proprietárias de marcas como Grendene, Olympikus e Mizuno.

Pedro está no front, como empresário e no dia a dia, nas ações de salvamento, e conversou com Carlos Sambrana neste momento tão desafiador, em uma edição especial, gravada remotamente.

“Nós temos em torno de duas mil portas que a gente atende em toda a região Sul e, infelizmente, a gente acha que, direta e indiretamente, pelo menos a metade delas foi impactada. Algumas desapareceram, outras molharam, outras a cidade vai passar por dificuldades. Estou em Porto Alegre, a gente vê os restaurantes fechados, o comércio está fechado. O estado parou, precisa agora se reerguer”, afirmou o empresário.

Pedro afirmou que a Abicalçados, associação que reúne empresas do setor, está organizando um auxílio a pessoas que trabalham na área.

“É um movimento que está sendo criado, com as empresas todas do setor, não só os produtores de calçados, mas com os fornecedores, nossos clientes. E a gente vai arrecadar fundos para a reconstrução das casas das pessoas que foram diretamente afetadas”, pontuou.

“Esse é o nosso primeiro objetivo, depois sem dúvida nenhuma, criar subsídios, criar movimentos para que a gente possa auxiliar os comércios. Vamos ajudar nossas equipes a reconstruir essas lojas”.

O “É Negócio”, com Carlos Sambrana, vai ao ar no domingo (12), às 20h45, na CNN.