Economia

Educação profissional na África: 3 mil jovens formados em parceria com SENAI em 10 anos



Mais de três mil jovens de São Tomé e Príncipe, país africano próximo à linha do equador, receberam qualificação profissional, nos últimos 10 anos, por meio do Centro de Formação Profissional Brasil – São Tomé e Príncipe. A instituição foi criada pelo governo local com o apoio da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), do Ministério das Relações Exteriores (MRE), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI).

Em 2024, quando completa uma década, o centro dá um novo passo por meio da cooperação internacional: a implementação de três cursos técnicos integrados ao ensino médio, nas áreas de rede de computadores, eletrotécnica e administração. É uma iniciativa pioneira na parceria entre os países, com novas possibilidades e oportunidades de formação profissional.

SENAI na África: 10 anos de parceria para educação

Escola se tornou referência em São Tomé e Príncipe

O centro de formação de São Tomé e Príncipe é a principal referência de educação profissional de curta duração no país. Ao contribuir para a qualificação de mão de obra, principalmente de jovens, a instituição impulsiona o desenvolvimento socioeconômico local por meio do apoio a micro, pequenas e médias empresas. Na parceria, o SENAI oferece toda a expertise de educação profissional que acumula ao longo dos anos.


“O nosso maior objetivo é contribuir para o desenvolvimento local e para que o país se torne atraente para empresas brasileiras que venham a se internacionalizar no futuro. Elas vão sabendo que nesses países onde estamos trabalhando poderão contar com mão de obra e com serviços tecnológicos qualificados no padrão SENAI, como no Brasil”, afirma o superintendente de Relações Internacionais da CNI, Frederico Lamego.


Mais de US$ 7 milhões já foram investidos no centro de formação

O Centro de Formação Profissional Brasil – São Tomé e Príncipe foi inaugurado em 2010, ainda como centro politécnico, e contou com o apoio da ABC para ter uma estrutura adequada à oferta de cursos de construção civil, eletricidade, serralheria, soldagem, mecânica de automóveis e motocicletas, processamento de alimentos e informática.

Desde então, a ABC destinou US$ 7,6 milhões para esse projeto de cooperação internacional. Já o SENAI coordenou o processo de implementação do Centro, desde a construção até a capacitação de instrutores e gestores, incluindo os cursos, oficinas e laboratórios, a instalação de máquinas e equipamentos, além da supervisão das atividades.

SENAI qualifica dentro e fora do Brasil

O SENAI oferece formação profissional, técnica e tecnológica em 28 setores industriais do Brasil, além de cursos de graduação e pós-graduação, e atende demandas internacionais de capacitação ou para transmitir sua experiência a outros organismos e institutos mundo afora.

A instituição também atua na implementação de projetos internacionais, com financiamento da ABC, em países em desenvolvimento, especialmente na América Latina e Caribe, na África e na Ásia. Por meio de colaboração com empresas, instituições públicas, agências de cooperação e organismos internacionais, o SENAI já ajudou a estruturar centros de formação profissional em três continentes e 11 países, onde mais de 70 mil pessoas se formaram.

A atuação internacional é compartilhada entre o Departamento Nacional e as unidades estaduais do SENAI.

FIEPB