Política

Aliados justificam “inércia” de Romero e descartam não-candidatura: “Seria suicídio político”



O retardamento por parte do deputado federal Romero Rodrigues (Podemos) em anunciar sua decisão em relação às eleições deste ano tem sido interpretado por parcela do melo político como um indício de que o parlamentar não vai atender ao chamamento de boa parte da população e as expectativas de aliados para ser candidato a prefeito.

Todavia, entre as figuras próximas de Romero a postura do deputado é justificada como ocorrendo não por incerteza sobre ser ou não candidato, assunto tido por superado, mas por outro motivo: a complexa definição sobre com quais aliados compar.

Romero teria como alguns dos principais caminhos se allar com o governador João Azevedo, do PSB, confirmando uma gulnada na sua trajetória politica, ou formar a majoritária apenas com o Republicanos, o que seria um movimenta considerado mais ameno. Sair candidato sem alinhar-se com ambos os partidos nāc seria uma tese completamente descartada, mas é improvável.

“SUICÍDIO POLÍTICO

A ausência de uma decisão, contudo, já causa alvoroço entre “romeristas” e legendas que podem figurar como aliadas. Até mesmo políticos que publicamente ainda estão ao lado do atual prefeito Brunc Cunha Lima (União) pressionam por uma definição. E a opinião é generalizada: a essa altura, Romero enterraria sua carreira política se resolvesse não entrar na disputa,

“Seria um suicídio politico. Pior: ele levaría muita gente que confiou nele junto. Não ser candidato é algo que não pode ser considerado uma opção a essa altura”, afirma um político, citando termos fortes que, com uma ou outra variação, se repetem de boca em boca.

“O sonho do Governo do Estado se acabaria. Até a reeleição para deputado ficaria muito, muito difícil. Além disso, Romero ficaria em descrédito perante o meio político e a população que hoje o consideram uma das maiores ilderanças da Paraíba e acreditam no seu compromisso com a cidade. Por isso, essa hloótese de não-candidatura pode ser tida como nula”, garante.

Hora Agora